Artigos
  • LUIS FILIPE GOMES
    Receita Federal altera regras relativas à obrigatoriedade da entrega
  • ARNALDO JUSTINO
    Só louco para ansiar ser governante; por isso, a loucura exige respeito
  • RENATO GOMES NERY
    A questão do meio ambiente é seríssima, pois diz respeito ao nosso futuro
/ CANDIDATURA CASSADA

Tamanho do texto A- A+
05.06.2019 | 15h24
Advogado nega rixa com Selma: “É direito do réu espernear”
A ex-juíza acusou Ulisses Rabaneda de atuar com parcialidade e “perseguição”
Arquivo MidiaJur
O advogado Ulisses Rabaneda: "Não existe nenhum tipo de rixa, mágoa, rancor"
CÍNTIA BORGES
DA REDAÇÃO

O advogado Ulisses Rabaneda negou que haja alguma animosidade ou desavença entre ele e a senadora Selma Arruda (PSL). 

 A ex-juíza acusou Rabaneda de atuar com parcialidade e “perseguição” quando foi relator do processo eleitoral que resultou na cassação do seu mandato. Na ocasião, ele ocupava o cargo de juiz membro do Tribunal Regional Eleitoral (2017-2018).

A senadora e o seu suplente, Gilberto Possamai, tiveram mandato cassado em abril deste ano por abuso de poder econômico e caixa 2. Com a saída de Rabaneda do TRE, a relatoria do processo ficou com o desembargador Pedro Sakamoto. Selma recorre a decisão ainda no exercício do mandato.   

“O réu tem direito de recorrer e muitas vezes o direito de espernear. Enfim, eu não vou responder e bater boca com pessoas que eu julguei no Tribunal. Fato é que, de minha parte, não existe nenhum tipo de rixa, mágoa, rancor”, disse o advogado. 

O réu tem direito de recorrer e muitas vezes o direito de espernear. Enfim, eu não vou responder e bater boca com pessoas que eu julguei no Tribunal

“Até porque ninguém arguiu minha suspeição, e todos os julgamentos que proferi no Tribunal, nesse caso em específico, eu segui pedidos do Ministério Público. Tenho a consciência tranquila de dizer que não fiz nada mais do que achava correto”, completou.

O advogado afirmou que as determinações realizadas como magistrado foram embasadas em recomendações do Ministério Público Eleitoral.

“Eu não tenho absolutamente nada contra ela. Pelo contrário, eu advoguei muito na 7ª Vara, ao tempo em que ela esteve aqui, e mesmo assim nos relacionamos muito bem. Infelizmente, você acaba indo para o Tribunal e, na função de juiz, você tem que fazer o que acha que é justo”. 

“Eu fui lá com esse propósito e todas as decisões que tomei, eu achava que eram decisões corretas. Pode ser que eu esteja equivocado, mas foi com as mais respaldadas intenções. De minha parte, não tem absolutamente nada”, disse. 

Juiz do TRE

No último dia 20, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) nomeou o advogado Sebastião Monteiro da Costa Júnior para a vaga ocupada pelo advogado Ulisses Rabaneda. 

A lista tríplice definida pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso era encabeçada por Monteiro e Rabaneda, cada um com 22 votos, seguidos de Darlã Martins Vargas, com 14.

A nomeação, no entanto, contou com apoio decisivo da senadora Selma Arruda, que faz parte do mesmo partido que o presidente. Rabaneda evitou comentar sobre a derrota a recondução do cargo. 

“Essa escolha da presidência do Tribunal é do presidente da República. São três nomes, ele fez uma escolha e enviou. O presidente optou por um colega, um amigo inclusive, e ele vai fazer um bom trabalho. Desejo sorte a ele, já liguei para ele. Não há magoa”, afirmou.

Leia mais sobre o assunto:

"Eu fui perseguida desde o dia do registro da minha candidatura"

Bolsonaro nomeia Sebastião Monteiro para vaga de juiz do TRE


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet