Artigos
  • RENATO GOMES NERY
    Movimentação política, com vistas à sucessão municipal em Cuiabá, começou
/ R$ 33 MIL

Tamanho do texto A- A+
05.08.2019 | 17h20
Mulher que se acidentou ao correr de cães será indenizada
Juiz disse que casal condenado foi negligente ao deixar animais soltos no quintal com o portão de casa aberto
Arquivo MidiaJur
O juiz Emerson Luis Pereira Cajango (no detalhe)
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O juiz Emerson Luis Pereira Cajango, da 3ª Vara Civil de Cuiabá condenou um casal a indenizar em R$ 33 mil, por danos materiais e morais, uma vizinha que correu dos seus cachorros e acabou sofrendo uma queda.

A decisão foi publicada nesta semana.

Na ação, a mulher afirmou que o caso ocorreu em novembro de 2010. Ela contou que estava chegando em casa quando foi surpreendida por dois cachorros da raça fila correndo em sua direção.

Nesse sentido, da leitura dos fatos narrados, extrai-se que houve negligência por parte dos requeridos, na guarda dos cães, que conseguiram sair do local em que se encontravam e correr em direção da autora

“Afirma que ficou totalmente assustada e, ao tentar se proteger dos bichos, acabou sofrendo uma queda. Nesse momento, os proprietários dos cães apareceram e conseguiram segurar os cachorros antes que eles a mordessem”, diz trecho da ação.

Segundo a mulher, o casal estava lavando a calçada com o portão de sua residência aberto e os cachorros  estavam soltos pelo quintal, demonstrando “falta de respeito pelas demais pessoas que transitam pelo bairro”.


Conforme ela, após controlar os cachorros, o casal a acompanhou ao hospital, efetuou o pagamento de duas consultas, mas depois não lhe prestou mais nenhum auxilio.

“Atesta que. em decorrência desta queda, vem sofrendo com fortes dores na perna esquerda e na coluna, necessitando de tratamento médico contínuo”, diz outro trecho da decisão. 

Em sua decisão, o juiz afirmou que a mulher comprovou, através de laudos médicos, que a queda desencadeou nela a “doença degenerativa do disco”.

“Constata-se que após o evento danoso (16.10.2010), a autora realiza tratamentos médicos para sua lesão na coluna e, segundo a Drª. Lia Rachel C. A. Pelloso, CRM/MT 3380: ‘necessita de acompanhamento médico contínuo’”, diz trecho da decisão.

O juiz ainda afirmou que a "pessoa que possui animal tem a obrigação de guardá-lo de maneira que não possa ofender outrem".

“Nesse sentido, da leitura dos fatos narrados, extrai-se que houve negligência, por parte dos requeridos, na guarda dos cães, que conseguiram sair do local em que se encontravam e correr em direção da autora. Apesar de os animais não conseguirem atacar a requerente, o susto lhe causou uma queda da sua própria altura”, afirmou.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet