Artigos
/ PEDRADAS

Tamanho do texto A- A+
08.01.2020 | 14h22
Juiz manda soltar rapaz que assassinou jornalista em Cuiabá
Jonh Lennon estava preso desde outubro e disse que cometeu o crime sob efeito de drogas
Arquivo MidiaJur
BIANCA FUJIMORI
DA REDAÇÃO

O juiz Flávio Miraglia Fernandes, da 12ª Vara Criminal de Cuiabá, expediu o alvará de soltura para Jonh Lennon da Silva, réu confesso pelo assassinato do jornalista Marcelo Ferraz.

O alvará foi expedido nessa terça-feira (7), com base na decisão foi tomada, por unanimidade, pela Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, que acatou pedido de habeas corpus impetrado pela defesa de Jonh Lennon.

O HC, sob relatoria do desembargador Marcos Machado, foi concedido parcialmente no dia 17 de dezembro do ano passado.

Conforme o documento, Jonh Lennon deve cumprir medidas cautelares como comparecer periodicamente em Juízo nas datas definidas para prestar contas das suas atividades. Ele também está proibido de mudar de endereço e sair de Cuiabá sem autorização da Justiça.

Outra condição para a sua liberdade é de que o réu não poderá frequentar bares e boates durante o decorrer do processo. Além disso, Jonh Lennon deve ficar em casa de noite, nos dias de folga, finais de semana e feriados.

A turma julgadora entendeu que a prisão do réu foi baseada em “conceitos genéricos” e que apenas a gravidade do crime e o clamor popular não são suficientes para a manutenção da reclusão.

Alair Ribeiro/MidiaNews

Juiz Flávio Miraglia 02-10-2018

O juiz Flávio Miraglia Fernandes, da 12ª Vara Criminal de Cuiabá

“Não obstante, a gravidade da conduta atribuída ao paciente - assassinato da vítima em praça pública -, recomenda a imposição de medidas alternativas à prisão, pelo Tribunal, que exerce o poder cautelar inerente à jurisdição sobre o fato, na condição revisional e de controle de legalidade, como forma de harmonizar ‘os direitos do paciente com a necessidade de manutenção da ordem pública’”, afirmou o relator.

Relembre o caso

Jonh Lennon estava preso desde o dia 1º de outubro pela morte do jornalista. Na ocasião, o acusado confessou o crime e disse que estava sob efeito de drogas.

Marcelo foi assassinado com pedradas na cabeça no dia 28 de setembro, em um terreno baldio, no Bosque da Saúde, em Cuiabá.

Jonh Lennon havia dito em depoimento que cometeu o homicídio porque encontrou a namorada mantendo relação sexual com Marcelo.

No depoimento que deu ao delegado Fausto Freitas, B.B.V. confirmou que, de fato, tinha um relacionamento com Jonh Lennon e que, no dia do crime, estava com o rapaz e mais outro usuário de drogas próximo da Avenida Rubens de Mendonça. Mas ela reforçou não ter tido nenhum contato íntimo com Marcelo.

Ela contou que um dado momento, Jonh Lennon saiu do local e retornou pouco depois na companhia de Marcelo. Em seguida, o grupo se deslocou até o terreno baldio onde, dois dias depois, o jornalista foi encontrado morto.

 

No local do crime, a mulher contou que se desentendeu com o grupo e saiu, permanecendo no terreno apenas o suspeito e a vítima. 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2020 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet