Artigos
  • GONÇALO ANTUNES DE BARROS
    As hienas ladram a convicção quando o arroto fétido da covardia se fazem presentes
  • EDUARDO MANZEPPI E FLÁVIO RICARTE
    Com evolução da tecnologia, novos questionamentos começaram a aparecer na mídia
/ DINHEIRO PÚBLICO

Tamanho do texto A- A+
05.02.2020 | 16h04
Maluf afirma que TCE passará a medir eficiência de gastos
Presidente adiantou que a Corte lançará aplicativo de controle social
Victor Ostetti
Guilherme Antonio Maluf, presidente do TCE-MT
BRUNO GARCIA
DA REDAÇÃO

O presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso, conselheiro Guilherme Maluf, ressaltou que a Corte vive um novo momento e não se limitará em somente fiscalizar os gastos públicos, mas também em medir a eficiência dos gastos.

O conselheiro adiantou que será lançado, nos próximos dias, um aplicativo que irá auxiliar esse trabalho de controle de eficiência.

“Todos os Tribunais de Contas do país, inclusive este, estão muito preocupados com a eficiência dos gastos. Se nós conseguirmos bons resultados para a sociedade, o Tribunal irá atuar. Através de mecanismos e ferramentas, que estamos desenvolvendo, faremos com que o controle social ajude o Tribunal de Contas”, declarou Guilherme Maluf, durante entrega de tablets para os Agentes Comunitários de Saúde de Cuiabá, no auditório da Escola Superior de Contas.

Esse país bate no peito e diz que faz um controle importante da corrupção, mas não tem pior corrupção do que a ineficiência das políticas públicas

Guilherme Maluf defendeu que as gestões públicas invistam em capacitação dos agentes públicos, reforçando que o TCE passará a fiscalizar esse tipo de investimento.

“Não é que iremos abandonar as questões dos custos, do controle dos gastos, mas iremos cobrar eficiência. Esse país bate no peito e diz que faz um controle importante da corrupção, mas não tem pior corrupção do que a ineficiência das políticas públicas. Aí vai pelo ralo de uma forma que ninguém percebe”, salientou.

O conselheiro ressaltou que, por ser médico, dará uma atenção especial para a área da Saúde.

“Iremos fiscalizar se a política de Saúde é uma política eficiente. Se está chegando lá na sociedade, se ela está conseguindo marcar consulta, se está tendo resolução no posto de saúde, se as cirurgias estão sendo bem indicadas, ou seja, vamos ter indicadores na Saúde”, disse.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2020 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet