Artigos
  • GONÇALO ANTUNES DE BARROS
    As hienas ladram a convicção quando o arroto fétido da covardia se fazem presentes
  • EDUARDO MANZEPPI E FLÁVIO RICARTE
    Com evolução da tecnologia, novos questionamentos começaram a aparecer na mídia
/ EM CHAPADA

Tamanho do texto A- A+
11.02.2020 | 16h45
MPE investiga denúncia de suposta chantagem contra prefeita
Entre os investigados está o ex-secretário de Finanças do Município, Hermes Eduardo de Souza e Silva
Victor Ostetti
A prefeita de Chapada Thelma Oliveira (PSDB)
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O Ministério Público Estadual (MPE) abriu um inquérito civil contra o ex-secretário de Finanças de Chapada dos Guimarães, Hermes Eduardo de Souza e Silva, e o ex-funcionário da empresa CMF Empreendimentos ME, Diogo Pimenta de Siqueira.

O caso refere-se a uma suposta tentativa de chantagem contra a prefeita Thelma Oliveira (PSDB). 

O procedimento foi aberto pelo promotor de Justiça Leandro Volochko nesta segunda-feira (10).

De acordo com o promotor, o inquérito tem como base uma notícia de fato encaminhada pela prefeita, pelo procurador-geral do Município, Renato de Almeida Orro Ribeiro e pelo próprio então secretário de Finanças, Hermes Silva, denunciando que Diogo Siqueira estaria tentando chantagear a Prefeitura para tentar obter pagamentos relativos a obras em realização e/ou evitar punição administrativa.

O promotor, no entanto, não detalha de que forma foi feita esta suposta chantagem.

Na notícia de fato, conforme Volochko foi anexado um áudio de uma conversa gravada entre Hermes e Diogo, que seria utilizado para possível abertura de investigação pela Câmara de Vereadores numa tentativa de afastar a prefeita.

Para o promotor,  o conteúdo do áudio, no entanto, levantou suspeita também sobre Hermes no caso. 

“Muito embora a NF [notícia de fato] seja no sentido de convencer o Ministério Público sobre a existência de uma possível chantagem em curso contra a Prefeita de Chapada dos Guimarães, chama a atenção o áudio para o comportamento pouco ortodoxo/republicano do então secretário municipal de finanças, sr. Hermes, no sentido de ajudar e orientar o funcionário da empresa contratada para realizar obras públicas a não tomar prejuízo” afirmou Volochko  .

“Entendo que o diálogo travado inspira suspeitas de possível manipulação em planilhas das obras para, justamente, evitar-se eventual prejuízo da empresa CMF Empreendimentos ME relativo ao contrato n. 055/2018”, acrescentou o promotor.

Não há prazo para o fim da investigação.

 

 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2020 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet