Artigos
  • CARLA RACHEL FONSECA
    Paternidade socioafetiva é reconhecimento jurídico da paternidade com base no afeto
  • VICTOR MAIZMAN
    Brasil tem a possibilidade de participar dos diferentes órgãos da OCDE
/ “BAIXA PRODUTIVIDADE”

Tamanho do texto A- A+
31.07.2020 | 15h02
Juíza acionará CNJ para tentar reverter decisão que a aposentou
Flávia Catarina vai recorrer no Conselho Nacional de Justiça; aposentadoria foi por baixa produtividade
Reprodução
CÍNTIA BORGES
DA REDAÇÃO

A juíza Flávia Catarina Oliveira de Amorim Reis vai recorrer no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a decisão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso de aposentá-la compulsoriamente por “baixa produtividade”.

Oito dos 13 desembargadores do Órgão Especial votaram pela aposentadoria compulsória, em sessão virtual e secreta, na última quinta-feira (30).

Segundo a Associação Mato-Grossense de Magistrados (Amam), Catarina Oliveira aguarda “serenamente” a publicação da decisão do órgão para ingressar com o pedido de revisão disciplinar.

“A entidade representativa da magistratura também informa que a juíza irá recorrer da decisão proferida pelo Órgão Colegiado. A magistrada aguardará serenamente a decisão final em relação ao processo administrativo”, consta em nota da Amam encaminha à imprensa nesta sexta-feira (31).

Com a decisão do órgão colegiado, a juíza deixa de trabalhar, mas receberá aposentadoria proporcional ao tempo de serviço. Ainda não se sabe se o recurso tem efeito suspensivo da determinação.

Flávia Catarina ingressou na magistratura há 33 anos. Atualmente, ela estava na Vara de Execução Fiscal da Capital.

“Baixa produtividade”

Flávia Catarina respondia a um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) iniciado em 2019.

Antes disso, uma sindicância foi aberta quando ela foi convocada a atuar como juíza auxiliar no TJMT.

Na investigação ficou comprovado que a magistrada tinha produtividade baixa. Em alguns meses, ela chegou a proferir apenas quatro decisões.

Leia mais sobre o assunto:

TJ aposenta juíza compulsoriamente por baixa produtividade


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2020 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet