Artigos
  • RENATO GOMES NERY
    Prestigia-se o atraso, em detrimento da evolução, e o crime em prejuízo da punição
  • VICTOR MAIZMAN
    A extinção do seguro obrigatório confirma a voracidade do Poder Público
/ EX-PRESIDENTE

Tamanho do texto A- A+
08.11.2019 | 11h37
Preso após condenação em 2ª instância, Lula pede soltura imediata
Em nota, a defesa do petista reafirmou que ele é vítima de lawfare
Intercept BR
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
FERNANDA VALENTE
DO CONSULTOR JURÍDICO

A defesa do ex-presidente Lula ingressou com pedido de soltura imediata do petista, preso desde abril de 2018 por corrupção e lavagem de dinheiro.

A base do pedido ao juízo de execução é a decisão desta quinta-feira (7), do Supremo Tribunal Federal, que derrubou a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância. 

Na petição, os advogados Cristiano Zanin e Valeska Martins afirmam que é "imperioso" cumprir imediatamente a decisão da Suprema Corte. Os advogados citam que Lula está preso em condenação não transitada em julgado e que seu encarceramento não está fundamentado em nenhuma das hipóteses previstas art. 312 do Código de Processo Penal.

Em nota emitida depois do julgamento do STF, a defesa do petista  reafirmou que ele é vítima de lawfare, tese de que o petista tem sido perseguido pela Justiça.

Clique aqui para ler o pedido
5014411-33.2018.4.04.7000


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet