Artigos
  • RENATO GOMES NERY
    Movimentação política, com vistas à sucessão municipal em Cuiabá, começou
/ LOJAS RENNER

Tamanho do texto A- A+
27.03.2013 | 08h40
Funcionária é ressarcida por gastos com maquiagem
Decisão foi do TST que entendeu que o material compunha parte do uniforme
Reprodução/Internet
Empresa alegou que funcionária não havia comprovado os gastos que efetuou
DO MIGALHAS

A 2ª turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) manteve a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 4ª região que condenou as Lojas Renner S.A. a ressarcir sua vendedora pelos gastos com maquiagem e sapatos utilizados no trabalho. A turma negou provimento a recurso da empresa.

Na ação trabalhista, a ex-vendedora requereu indenização por gastos efetuados com maquiagem e sapatos, além de horas extras pelo tempo despendido na troca de uniforme e honorários advocatícios. Segundo ela, a Renner exigia que as vendedoras usassem maquiagem e sapatos pretos no desenvolvimento de suas atividades, mas não fornecia o material.

O TRT deferiu o pedido, e a empresa interpôs recurso de revista alegando que a autora não comprovou efetivamente os gastos com maquiagem e calçados, o que fere a regra do art. 818 da CLT e 333, inciso I, do CPC.

Segundo o relator do processo, ministro José Roberto Freire Pimenta, o fornecimento da maquiagem alegado pela recorrente não restou comprovado. E em relação aos sapatos, explicou de acordo com o precedente normativo 115 da Corte "determina-se o fornecimento gratuito de uniformes, desde que exigido seu uso pelo empregador". A 2ª turma do TST, por unanimidade, manteve a decisão.

Veja a íntegra da decisão.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet